Linhas de força do contemporâneo na literatura latino-americana – Mestrado 2019.2

Linhas de força do contemporâneo na literatura latino-americana
Ieda Magri
Terças, 16:10 às 19:30 – sala 62 – bloco F

[Textos no xerox do 11]

Ementa: A partir de algumas evidências colhidas na produção literária atual e nas consequentes críticas e teorizações produzidas no continente, o curso buscará ler o que conforma e disforma o que se convencionou chamar de contemporâneo em sua dificuldade mesma de nomeação. O percurso parte das teorias do contemporâneo para cinco linhas de força da literatura: 1) A literatura enquanto procedimento; 2) O mito do escritor em tensão com o autobiográfico ou o autoficcional; 3) A literatura no papel de crítica e/ou teoria; 4) A literatura que reescreve a tradição masculina e/ou nacional; 5) A literatura em seu desejo de ser arte contemporânea.

Pequena incursão num conceito
1 – Lionel Ruffel: Zum, zum, zum — Estudo sobre o nome contemporâneo (20.08) ruffel zum zum

2 – Reinaldo Laddaga e os quatro regimes da arte: Estética da emergência (27.08)
3 – O Indicionário do contemporâneo como uma produção própria do Regime Prático das artes (verbetes O contemporâneo e Pós-autonomia) (03.09)

1 – A literatura enquanto procedimento
4. César Aira e seu pequeno manual de procedimentos + Raymond Roussel, la clave unificada, de Evasión y otros ensayos + Raymond Roussel: Como escribí algunos libros mios (10.09)
5. Alejandro Zambra: Facsímil e Múltipla escolha (17.09) Zambra-Alejandro-Facsimil

2 – O mito do escritor em tensão com o autobiográfico ou o autoficcional
6. César Aira: Biografia + A confissão/La Confesion + Evasión y otros ensaios  (24.09)
7. Tamara Kamenszain: Una intimidad inofensiva, los que escriben con lo que hay + Ecos da minha mãe (01.10)
8. Ricardo Piglia: os diários de Emílio Renzi (Abertura + seleção de algumas entradas) (15.10)-(no dia 08.10 estarei num congresso em Rosário)
9. Silviano Santiago: Em liberdade (22.10)

3 – A literatura no papel de crítica e/ou teoria
10. Roberto Bolaño: 2666, A parte dos críticos (convidado: Guilherme de Carvalho)
11. Roberto Bolaño: Os detetives selvagens, poesia e crítica (convidado: Vitor Felix) (05.11)

4 – A literatura que reescreve a tradição masculina e/ou nacional
12. Gabriela Cabezón Cámara: Las-Aventuras-de-La-China-Iron  (12.11)

Leituras complementares: José Hernandez El martin Fierro/martin fierro + Borges historia do guerreiro e da cativa+ El fin borges-o fim+ Aira Cesar – Ema La Cautiva
13. Ana Martins Marques e o ciclo das Penélopes em Vida Submarina (convidada: Juliana Gelmini) e Ana Martins Marques e a tradição portuguesa (convidada: Natalia Natalino) (19.11)

5) A literatura em seu desejo de ser arte contemporânea
14. Laddaga: Espectaculos-de-realidad+ César Aira Sobre el arte contemporâneo ZAZIE+EDICOES_PEQUENA+BIBLIOTECA+DE+ENSAIOS_CESAR+AIRA_2018 (26.11)
15. Paloma Vidal e o ciclo Em obras + Verônica Stigger O Sul + Marília Garcia Parque das ruínas (03.12)
Avaliação: além do ensaio final, a disciplina prevê uma avaliação a partir das discussões apresentadas pelos inscritos em forma de seminário. Assim, cada inscrito deverá escolher um dos livros do curso para a sua apresentação.
Observação: alguns textos não têm tradução para o português. É recomendável o conhecimento do espanhol.
Bibliografia básica
AIRA. César. La confesión. Buenos Aires: Beatriz Viterbo, 2009.
AIRA, César. Evasión y otros ensayos. Buenos Aires: Literatura Handom House, 2018.
AIRA, César. Ema la cautiva. Buenos Aires: Literatura Handom House, 2015.
AIRA, César. Sobre el arte contemporáneo seguido de En la Habana. Buenos Aires: Literatura Handom House, 2018.
BOLAÑO, Roberto. Os detetives selvagens. Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.
BOLAÑO, Roberto. 2666. Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.
BORGES, Jorge Luis. História universal de la infamia. Trad. Davi Arrigucci Jr. São Paulo: Cia das Letras, 2012.
CABEZÓN CÁMARA, Gabriela. Las aventuras de la China Iron. 2.ed. Buenos Aires: Literatura Handom House, 2017.
GARCIA, Marília. Parque das ruínas. São Paulo: Luna Parque, 2018
HERNANDEZ, José. Martin Fierro. Madrid: Scipione, 2001.
HERNANDEZ, José. Martín Fierro. Trad. Walmir Ayala. Rio de Janeiro: Ediouro, 1991.
KAMENSZAIN, Tamara. Una intimidad inofensiva. Los que escriben con lo que hay. Buenos Aires: Eterna Cadência, 2016.
LADDAGA, Reinaldo. Estética da emergência. A formação de outra cultura das artes. Trad Magda Lopes. São Paulo: Martins Fontes, 2012.
LADDAGA, Reinaldo. Espectáculos de realidad. Ensayo sobre la narrativa latinoamericana de las últimas décadas. Rosário: Beatriz Viterbo Editora, 2007.
PEDROSA, Célia; KLINGER, Diana; WOLFF, Jorge; CÁMARA, Mário. (org). Indicionário do contemporâneo. Belo Horizonte; UFMG, 2018.
PIGLIA, Ricardo. Os diários de Emílio Renzi. Anos de formação. Trad. Sérgio Molina. São Paulo: Todavia, 2017.
PIGLIA, Ricardo. Os diários de Emílio Renzi. Os anos felizes. Trad. Sérgio Molina. São Paulo: Todavia, 2018.
RUFFEL, Lionel. Zum, zum, zum: estudo sobre o nome contemporâneo. Revista Celeuma, n. 4, maio de 2014. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/celeuma/article/view/87724
ROUSSEL, Raymond. Cómo escribí algunos libros míos. Trad para o espanhol: Traducción de Pere Gimferrer. Publicada originalmente em “Impresiones de África”. Disponível em: http://www.elboomeran.com/upload/ficheros/noticias/russell.pdf
SANTIAGO, Silviano. O falso mentiroso: memórias. Rio de Janeiro: Rocco, 2004
STIGGER, Verônica. Sul. São Paulo: editora 34, 2016.
VIDAL, Paloma. Em obras. Ciclo de palestras performáticas. In: https://cicloemobras.wordpress.com/
ZAMBRA, Alejandro. Facsímil. Facsímil: libro de ejercicios. Buenos Aires: Eterna Cadencia, 2015.
ZAMBRA, Alejandro. Múltipla Escolha. São Paulo: Planeta do Brasil, 2017.

Bibliografia complementar
AZEVEDO, Luciene; MOLINA, Cristian; VIDAL, Paloma. Revista de Literatura Brasileira Contemporânea. n. 55 (2018): Autoria na Cultura do Presente. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/estudos/issue/view/1345
BOLAÑO, Roberto. Entre parenteses. Ensayos, artículos y discursos (1998-2003). Barcelona: Anagrama, 2004.
BOLAÑO, Roberto. Noturno do Chile. Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.
BOLAÑO, Roberto. A literatura nazi nas américas. Trad: Cristina Rodrigues e Artur Guerra. Lisboa, Quetzal, 2010.
BORGES, Jorge Luis. Ficções. Trad. Davi Arrigucci Jr. São Paulo: Cia das Letras, 2007.
CONTRERAS, Sandra. En torno al realismo y otros ensayos. Rosário: Nube Negra Ediciones, 2018.
GARRAMUÑO, Florencia. La experiencia opaca. Literatura y desencanto. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica de Argentina, 2009.
LADDAGA, Reinaldo. Estética de laboratório. Estratégias das artes do presente. Trad. Magda Lopes. São Paulo: Martins Fontes, 2013.
LUDMER, Josefina. Aquí América latina. Una especulación. Buenos Aires: Eterna Cadência, 2010.
MAGRI, Ieda. Sobre a dificuldade de nomear a produção do presente: Rancière e Laddaga. Sem publicação.
MAGRI, Ieda. César Aira e as histórias que se fazem sozinhas. In: MELLO, Luiza Laranjeira da Silva et all (Org). Reinvenções da narrativa. Rio de Janeiro: PUC, 2019.
PEREIRA, Antonio Marcos; SILVEIRA RIBEIRO, Gustavo (org.). Toda a orfandade do mundo. Escritos sobre Roberto Bolaño. Belo Horizonte: Relicário, 2016.
RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível. Trad. Mônica Costa Neto. São Paulo: Editora 34, 2005.

Teoria 4 – 2019.2

Ementa: Tópicos sobre teorias do contemporâneo e literatura latino-americana.

Obs.: a maioria dos textos não está disponível na internet. Mas todos estão na pasta da professora no xerox do andar 11.

Aula 1: Apresentação da disciplina: objetivos, programa, cronograma, bibliografia e avaliação;
Aulas 2 e 3: Lionel Ruffel: Zum, zum, zum — Estudo sobre o nome contemporâneo ruffel zum zum

Aulas 4 e 5: Verbete O contemporâneo, do Indicionário do contemporâneo
Aula 6: Ítalo Moriconi: Circuitos contemporâneos do literário circuitos contemporaneos do literario
Aula 7: Josefina Ludmer: Literaturas autônomas
Aula 8: Josefina Ludmer: Literaturas pós-autônomas literaturas pos autonomas 

Aula 9: Florência Garramuño: A inespecificidade na literatura contemporânea. Ler cap 1: práticas da impertinência: Garramuno-Florencia-Frutos-estranhos
Aula 10: Literatura e verdade: O boxeador polaco, de Eduardo Halfon
Aula 11: Seminário sobre César Aira: literatura e procedimento: livros em português a escolher: A confissão; A costureira e o vento; Como me tornei freira; Os fantasmas; Noites de flores Como me tornei freira e A costureira e o vento
Aula 12: Seminário sobre poesia: Monodrama, AZEVEDO-Carlito-Monodrama-pdf de Carlito Azevedo e O eco de minha mãe, de Tamara KamenszainKAMENSZAIN, Tamara. O eco da minha mãe
Aula 13: Seminário sobre Literatura e performance: Parque das ruínas, Tem-Pais-Na-Paisagem- de Marília Garcia; Lugares onde não estou, de Paloma Vidal ; Uma mulher, Flávia Péret. Em obras: Ciclo de palestras performáticas.
Aula 14: Escrita não criativa: Escrever sem escrever: literatura e apropriação, Leonardo Villa-forte (o autor estará na Uerj)
Aula 15: Avaliação final

Avaliação: nota na apresentação e do trabalho escrito do seminário escolhido. Obs.: A disciplina reprova por faltas. Presença mínima: 70%.

Bibliografia
AIRA. César. La confesión. Buenos Aires: Beatriz Viterbo, 2009.
AIRA, César. A confissão. Trad. Hugo Almeida, Ieda Magri, Juliana Ribeiro, Mariana Teixeira. Sem publicação.
AIRA, César. Como me tornei freira, seguido de A costureira e o vento. Trad. Angélica Freitas. Rio de Janeiro, Rocco, 2013.
AIRA, César. Os fantasmas. Trad. Joca Wolff. Rio de Janeiro: Rocco, 2017.
AIRA, César. As noites de flores. Trad. Paulo Andrade Lemos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2006.
BOURDIEU, Pierre. As regras da arte. Gênese e estrutura do campo literário. Trad. Maria Lucia Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.
GARCIA. Marília. Parque das ruínas. São Paulo: Luna Parque, 2018
GARRAMUÑO, Florencia. Frutos estranhos: sobre a inespecificidade na estética contemporânea. Trad. Carlos Nougué. Rio de Janeiro: Rocco, 2014.
HALFON, Eduardo. O boxeador polaco. Trad. Lui Fagundes. Rio de Janeiro: Rocco, 2014.
KAMENSZAIN, Tamara. Una intimidad inofensiva. Los que escriben con lo que hay. Buenos Aires: Eterna Cadência, 2016.
KAMENSZAIN, Tamara. O livro dos divãs. Trad. Carlito Azevedo e Paloma Vidal. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2015.
LUDMER, Josefina. Aqui América latina. Uma especulação. Belo Horizonte: UFMG, 2010.
MAGRI, Ieda. César Aira e as histórias que se fazem sozinhas. In: MELLO, Luiza Laranjeira da Silva et all (Org). Reinvenções da narrativa. Rio de Janeiro: PUC, 2019.
MORICONI, Ítalo. “Circuitos contemporâneos do literário”. Gragoatá (UFF), v. 20, p. 147-163, 2006.
PEDROSA, Célia; KLINGER, Diana; WOLFF, Jorge; CÁMARA, Mário. (org). Indicionário do contemporâneo. Belo Horizonte; UFMG, 2018.
PERET, Flávia. http://umamulher.org/umaMulher.html
RUFFEL, Lionel. Zum, zum, zum: estudo sobre o nome contemporâneo. Revista Celeuma, n. 4, maio de 2014. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/celeuma/article/view/87724
VILLA-FORTE, Leonardo. Escrever sem escrever: literatura e apropriação. Belo Horizonte: Relicário, 2019.
VIDAL, Paloma. Em obras. Ciclo de palestras performáticas. In: https://cicloemobras.wordpress.com/
VIDAL, Paloma. Dois. Lugares onde não estou (coleção). Rio de Janeiro: 7 Letras, 2015.
VIDAL, Paloma. Durante. Lugares onde não estou (coleção). Rio de Janeiro: 7 Letras, 2015.
VIDAL, Paloma. Wyoming. Lugares onde não estou (coleção). Rio de Janeiro: 7 Letras, 2018.
VIDAL, Paloma. Menini. Lugares onde não estou (coleção). Rio de Janeiro: 7 Letras, 2018.
VIDAL, Paloma; PESSOA, Elisa. Dupla exposição. Rio de Janeiro: Rocco, 2015.

Teoria 2 – 2019.2

Ementa:
=> Os sentidos da reflexão sobre literatura => Questões de história e literatura
=> Questões de crítica literária => A análise e a interpretação literária

— Aula 1: apresentação do curso: Il fuoco e il racconto (AGAMBEN, 2014)

História e literatura
Aula 2 — “A observação séria”, (WOOD, 2017) na pasta 541, xerox do andar 11
Aula 3 — “Verdade, convenção, realismo” (WOOD, 2012) WOOD.
Aula 4 — “O discurso da História” (BARTHES, 2004) BARTHES, Roland. O discurso
Aula 5 — “O texto histórico como artefato literário” (WHITE, 2014) Hayden-White-O-texto-historico-como-artefato-literario

Concepções de Ficção
Aula 6 — Bosques possíveis (ECO, 1994) ECO, Umberto. Bosques Pos…
Aula 7 — “O conceito de ficção” — Juan José Saer (SAER, 2012 ) TraducaoSaer-versaofinal
Aulas 08 e 09 — “O fictício e o imaginário” (ISER, 1999) ISER, Wolfgang. O ficticio e o imaginario.

Aula 10 — Prova 1 (A segunda chamada é na aula seguinte).

Aulas 11 e 12 — “O foco narrativo” (CHIAPPINI, 2002) Ler cap 1: foco-narrativo

Aulas 13 e 14 — “O ponto de vista na ficção. O desenvolvimento de um conceito” (FRIEDMAN, 2002) fredman_os pontos de vista da ficcao
Aulas 15 a 19 — Seminários sobre Pelos olhos de Maisie, de Henry James (JAMES, 2010)
(Cada grupo deve escolher um capítulo para analisar: foco narrativo e ponto de vista)Henry-James-Pelos-Olhos-de-Maisie

Literatura e valor
Aula 20 — “Tradição e talento individual” (ELIOT, 1989). ELIOT, T. S. Tradição e talento individual
Aulas 21 e 22 — Valores modernos — (PERRONE-MOISÉS, 1998) PERRONE-MOISES-Leyla-valores modernos
Aulas 23 e 24 — “O valor” (COMPAGNON, 1999) COMPAGNON-valor

Questões da crítica: análise e interpretação
Aulas 25 e 26 — Linguagem, sentido, interpretação (CULLER, 1999) CULLER__linguagem
Aula 27 — Criação e crítica (COUTINHO, 2014) Criação e crítica- reflexões sobre o papel do crítico literário, Eduardo Coutinho
Aula 28 — Reservada para revisão dos conteúdos
Aula 29 — Prova 2
Aula 30 — Avaliação da disciplina e entrega de notas

Avaliação: nota do seminário + nota das provas. A participação em sala também servirá de auxílio na avaliação do desempenho do aluno. Será cobrada presença. Frequência mínima de 70% das aulas.

Bibliografia
AGAMBEN, Giorgio. Il fuoco e il racconto. Roma: Nottetempo, 2014.
ANDRADE, Maria Lucia C.V. Resenha. São Paulo: Paulistana, 2006.
BARTHES, Roland. O rumor da língua. Trad. Mario Laranjeira. São Paulo: Martins Fontes, 2004.
CHIAPPINI, Lygia. O foco narrativo. Ou a polêmica em torno da ilusão. São Paulo: Ática, 2002.
COMPAGNON, Antoine. O demônio da teoria: literatura e senso comum. Trad. Cleonice Paes Barreto Mourão. Belo Horizonte, Editora da UFMG, 1999.
COUTINHO, Eduardo F. Literatura Comparada — Reflexões. Rio de Janeiro: Anablume, 2014.
CULLER, Jonathan. Teoria literária, uma introdução.Trad. Sandra Vasconcelos. São Paulo: Beca Produções Culturais, 1999.
ECO, Umberto. Seis passeios pelos bosques da ficção. Trad. Hildegard Feist. São Paulo: Cia das Letras, 1994.
ELIOT, T. S. Tradição e talento individual. In.___. Ensaios. São Paulo: Art Editora, 1989. pp. 37-48.
FRIEDMAN, Norman. O ponto de vista na ficção. O desenvolvimento de um conceito. In: Revista USP, SP, n. 53, p. 166-182, março/maio 2002. Trad. Fábio Fonseca de Melo.
ISER, W. O fictício e o imaginário. In:__. ROCHA, J.C.C. Teoria da ficção: indagações à obra de Wolfgang Iser. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1999. pp. 65-77.
JAMES, Henry. Pelos olhos de Maisie. Trad. Paulo Henriques Britto. São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras, 2010.
JAMES, Henry. “Henry James comenta Pelos olhos de Maisie.” In.: JAMES, Henry. Pelos olhos de Maisie. Trad. Paulo Henriques Britto. São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras, 2010, p. 373-388.
PERRONE-MOISÉS, Leyla. Altas Literaturas. São Paulo: Cia das Letras, 1998.
SANTIAGO, Silviano. Uma literatura nos trópicos. Ensaios sobre dependência cultural. São Paulo: Perspectiva, 1978.
SAER, Juan José. “O conceito de ficção”. Revista FronteiraZ, São Paulo, n. 8, julho de 2012. WHITE, Hyden. “O texto histórico como artefato literário” . In: Trópicos do discurso: ensaios sobre a crítica da cultura. Trad. Alípio Correia de Franca Neto. São Paulo: Editora da USP, 2014. pp. 97 -116.
WOOD, James. Verdade, convenção, realismo. In. Como funciona a ficção?. São Paulo: Cosac Naify, 2012. pp. 181- 199.
WOOD, James. A observação séria. In. A coisa mais próxima da vida.Trad. Célia Euvaldo. São Paulo: Sesi-SP Editora, 2017. pp. 37- 65.