Lançamento: Ninguém

Queridos amigos e alunos: espero vocês amanhã, 18 de julho, na festa de lançamento de meu novo romance: Ninguém

IMG_6894

Advertisements

Conversas sobre literatura em tempos de greve

queridos alunos: sim, ainda estamos em greve, infelizmente.

mas estamos fazendo umas conversas que têm sido muito interessantes. na segunda, 14h, vou falar a partir da ideia “Sair do Brasil: literatura contemporânea e América Latina” com o Éverton Barbosa Correia, também professor da UERJ, e que falará sobre João Cabral. esperamos vocês lá!

Conversas sobre literatura em tempos de greve — Programação de junho

02/06, QUINTA, 14h

Ana Cláudia Viegas (ILE/UERJ)— O autor em close: sobre estratégias de (auto)construção do escritor contemporâneo

Henrique Marques Samyn (ILE/UERJ)— Florbela Espanca: gênero e política

06/06, SEGUNDA, 14h

Bernardo Oliveira (Fac. de Educação/UFRJ)— Patologia do samba

09/06, QUINTA, 14h

Aline Magalhães Pinto (FAPERJ/ Puc-Rio)— Afinar a nós mesmos — algumas notas sobre Nossa música (Notre musique, J. L Godard, 2004)

Davi Pessoa Carneiro Barbosa (ILE/UERJ)– Pasolini: estamos todos em perigo

13/06, SEGUNDA, 14h

Anna Faedrich (FBN)— Que “mundo feminino” é esse? Jogos de poder e políticas de exclusão da mulher no meio literário

Cláudia Sampaio (UFF/UNAM)— Achei porque perdi: uma lógica de interrupções. Poesia contemporânea no México e no Brasil

16/06, QUINTA, 14h

Carolina Correia dos Santos (PACC/UFRJ/ SANTA ÚRSULA) — O lugar da enunciação impossível. Reflexão sobre a subalternidade

Ana Lúcia Machado de Oliveira (ILE/UERJ) — Bela, recatada e do claustro: sobre o amor freirático na sátira seiscentista

20/06, SEGUNDA, 14h

Roberto Acízelo Quelha de Souza (ILE/UERJ)— Currículo de graduação em letras: considerações históricas e problemas da atualidade

Eduardo da Silva de Freitas (ILE/UERJ) — Algumas representações de tipos e da cidade nas sátiras de Juvenal

23/06, QUINTA, 14h

Cláudia Maria Pereira de Almeida (ILE/UERJ)— Um outro Eckermann: intertextos na figura do escritor

Magali dos Santos Moura (ILE/UERJ)— Pactos que viram história: os encontros do homem com o Diabo

27/06, SEGUNDA, 14h

Vanessa Cianconi Vianna Nogueira (ILE/UERJ)— Quando as bruxas são outras: As bruxas de Salem e a histeria coletiva no Brasil

Antonio Marcos Pereira (UFBA)— Livros de horror: episódios do livro, leitura e escritura em Lovecraft

30/06, SEGUNDA, 14h

Paulo Roberto Tonani do Patrocínio (UFRJ)— Escritos à margem: a insurreição dos sujeitos silenciados

Vitor Hugo (ILE/UERJ) — Sexo, gênero e micropolíticas na literatura marginal ou periférica

Organização: Andréa Werkema, Davi Pinho, Ieda Magri e Leonardo Davino

Concederemos certificados!

Monitoria!

Caros alunos da UERJ: ainda dá tempo de se inscrever para monitoria em Teoria 1. A prova de seleção será no dia 7/4 e vocês podem se inscrever até uma hora antes:

1 – Da INSCRIÇÃO
As inscrições deverão ser feitas em formulário próprio, na Secretaria de Graduação do Instituto de Letras ou, excepcionalmente, com o professor orientador da disciplina e os membros da Banca Examinadora, no período de 28 de março de 2016 até a data da prova de seleção respectiva, no horário das 12 às 18 horas, todos os dias e até 1 hora antes do horário da primeira prova, de acordo com a prova de referência, conforme ANEXO II.

Poderão inscrever-se os alunos ativos, regularmente matriculados em cursos de Graduação Plena da UERJ e que atendam aos seguintes requisitos:
a) terem cursado, no mínimo, dois semestres do seu curso de origem;
b) ter cursado e estarem aprovados na disciplina objeto do concurso;
c) não terem tido qualquer reprovação na disciplina objeto do concurso; d) não terem sofrido sanção disciplinar de suspensão.
Parágrafo Único – Com referência ao item “d”, não ocorrerá a proibição de inscrição, se a sanção disciplinar de suspensão tiver sido cumprida há mais de um ano.
1.1- DOCUMENTAÇÃO PARA A INSCRIÇÃO –
Histórico Escolar recente – IMPRESSO DO ALUNO ONLINE (disciplinas cursadas); Foto 3×4 recente.
1.2 – DO HORÁRIO DA INSCRIÇÃO
O Horário de Atendimento será: das 12 às 18 horas, todos os dias e até 1 hora
antes do horário da primeira prova, quando for o dia final de inscrição de acordo com a prova de referência, conforme ANEXO II

monitoria

Queridos alunos e ex-alunos da UERJ:

Estão abertas as inscrições para monitoria em Teoria Literária I, no curto período de 28/03 até 31/03 – na secretaria de LETRAS, no horário de 12h às 17h, (ou também pela manhã, quando houver quadro funcional disponível)…

Apesar da greve, o calendário foi mantido, o que torna difícil a divulgação. Mas vão lá entre segunda e quinta. Para se inscrever, basta ter cursado Teoria I e ter disponível 20h para o trabalho, sob supervisão do professor José Carlos Prioste.

 

Teoria da Literatura I Uerj 2016.1

Ementa: Concepções de literatura. O conceito de gênero literário. Introdução à interpretação de textos.

Aula 1: Apresentação da disciplina: objetivos, programa, cronograma, bibliografia e avaliação;

Aulas 2 e 3: O que é teoria (cap. 1 de Introdução à teoria literária, de Jonathan Culler) CULLER__Jonathan

Aulas 4 e 5: O que é literatura (cap. 2 de Introdução à teoria literária, de Jonathan Culler)

Aulas 6 e 7: Introdução à leitura de A Odisseia: leitura e discussão de O Mundo de Homero, de Pierre Vidal-Naquet, capítulos: 1; 5; 8 e 9 Pierre Vidal Naquet – O Mundo de Homero

Aulas 8, 9, 10 e 11: Leitura e discussão de A Odisseia, de Homero ODISSÉIA – HOMERO

Aulas 12 e 13: Platão: Livro X da República: o problema da representação e a busca pelo conhecimento platao-a-republica

Aulas 14 e 15: Sófocles: Édipo Rei, análise e comentários Edipo_rei_de_sofocles

Aulas 16 e 17: Poética de Aristóteles: catarse e tragédia aristoteles-poetica-gulbenkian-dig-c

Aula 18: Prova 1 (Platão, Aristóteles, Odisseia e Édipo Rei)

Aulas 19, 20 e 21: Hamlet, de Shakespeare: análise e comentários a partir de “William Shakespeare: Hamlet”, em Como e por que ler, de Harold Bloom. Filme: Hamlet, de Peter Brook: Shakespeare-HamletComo_e_Por_Que_Ler_-_Harold_Bloom

Aulas 22 e 23Sobre a modernidade: Os cinco paradoxos da modernidade, Antoine Compagnon

Aulas 24 e 25: Baudelaire e a modernidade. Leitura de BAUDELAIRE – O pintor da vida moderna + “O homem da multidão”, de Edgar Alan Poe: Edgar-Allan-Poe-Obra-Completa

Aulas 26 e 27: Walter Benjamin: “A obra de arte na época da reprodutibilidade técnica”: A obra de arte na época da reprodutibilidade técnica- Benjamin

Aulas 28 e 29: A partilha do sensível, de Jacques Rancière: partilha do sensivel ranciere

Aulas 30 e 31: avaliação final

Teoria da Literatura III Uerj 2016.1

Ementa: Estudo da narrativa a partir de autores contemporâneos latino-americanos e problematização dos conceitos de literatura e realidade. Discussão sobre sentido, interpretação e o papel da teoria e da crítica na atuação prática do aluno-pesquisador-crítico.

Aula 1: Apresentação da disciplina e discussão do trabalho do aluno como pesquisador, como crítico ou como professor-pensador. Encaminhamento do trabalho a ser entregue na aula 12 e discutido nas aulas seguintes.

Bloco 1: a literatura e a teoria (textos na pasta da professora na copiadora do andar 11)

Aulas 2 e 3: leitura e discussão dos capítulos 2 e 3 de  A confissão, de César Aira

Aulas 4 e 5: leitura e discussão de O narrador, de Walter Benjamin e de O narrador pós-moderno, de Silviano Santiago BENJAMIN, Walter_O narrador (._.) e silviano-santiago-nas-malhas-da-letra (p. 44 a 60)

Aulas 6 e 7: leitura e discussão de O boxeador polaco e o Discurso de póvoa, de Eduardo Halfon

Aulas 8 e 9: leitura e discussão de Linguagem, sentido e interpretação (Cap 4) e A narrativa (Cap 6), de Teoria Literária, uma introdução, de Jonathan Culler CULLER__Jonathan maior

Bloco 2: o laboratório crítico

Aula 10: leitura e discussão de O que é teoria, de Jonathan Culler (cap 1 de Teoria Literária, uma introdução)

Aula 11: leitura e discussão de Crítica política, de Terry Eagleton (conclusão de Teoria Literária, uma introdução). Critica-Politica-Terry-Eagleton

Aula 12: entrega e apresentação oral dos trabalhos

Aulas 13, 14 e 15: discussão e reescrita dos trabalhos a partir dos problemas que apareceram na leitura da professora.

Aula 16: avaliação final do curso

Passos para a parte prática deste curso (ou como pensar o trabalho): 

1 – Qual questão que está sendo trabalhada no curso coloca problemas que você gostaria de investigar? Ou seja: alguma coisa discutida no curso merece ser aprofundada por você? Daria algum prazer estudar essa questão?

2 – Sua questão pode nascer do embate entre os textos teóricos estudados na disciplina e sua aplicação ou impossibilidade de aplicação numa narrativa de sua escolha; ou do embate entre duas ou mais visões teóricas sobre o trabalho com a literatura; ou de sua leitura, análise e interpretação de um dos textos ficcionais estudados no curso.

3 – Sugestões de textos ficionais para o trabalho final:

César Aira: A confissão; Como me tornei freira; A costureira e o vento; Haicus

Borges: qualquer conto de Ficções

Bolaño: qualquer conto de Chamadas telefônicas ou de Putas assassinas

Katerine Mansfield: qualquer conto de Felicidade

Prática de interpretação de textos I UERJ 2016.1

Ementa: Leituras teóricas sobre a construção da interpretação; estudo da linguagem, da subjetividade e exercícios de interpretação a partir de problemas colocados por alguma ficção e poesia recentes.

Aula 1: apresentação da disciplina

Aulas 2 e 3: “A inelutável cisão do olhar” e “O evitamento do vazio” (cap. 1 e 2 de O que vemos, o que nos olha, de Didi-Huberman) didi-huberman, o que vemos, o que nos olha

Aula 4: Ensaio de interpretação: “Ideias do canário“, de Machado de Assis

Aula 5: Linguagem, sentido e interpretação (cap. 4 de Introdução à teoria literária, de Jonathan Culler) CULLER_intro_literaria

Aula 6: Ensaio de interpretação: “O sul”, de Borges Ficções_Borges

Aula 7: O que é a interpretação? (cap. 13 de Hermenêutica, de Richard E. Palmer, p. 225 a 242) (texto na pasta da professora na copiadora do andar 11)

Aula 8: Ensaio de interpretação: Bliss, de Katherine Mansfield Katherine-Mansfield-Bliss ana c.

Aula 9: Retórica, poética e poesia (cap. 5 de Introdução à teoria literária, de Jonathan Culler)

Aula 10: Ensaio de interpretação: “A máquina do mundo”, de Drummond drummond-claro-enigma

Aulas 11 e 12: A máquina do mundo na interpretação de Alfredo Bosi e A máquina do mundo na interpretação de Silviano Santiago silviano-santiago-camoes-e-drummond (o texto do Bosi está somente na pasta da professora na copiadora do andar 11)).

Aulas 13 e 14: Literatura e verdade: O boxeador polaco e o Discurso de póvoa, de Eduardo Halfon (texto na pasta da professora na copiadora do andar 11).

Aulas 15 e 16: avaliação final.

A nota final será obtida pela apresentação oral e entrega de trabalho escrito em pelo menos dois ensaios de interpretação propostos na disciplina.